Um objeto é considerado caro porque existe um julgamento de valor por parte de quem quer comprar. É caro porque não se percebe valor suficiente para se pagar o preço pedido por determinado produto ou serviço. E essa percepção de valor é diferente para cada pessoa, pois cada um tem uma necessidade, uma possibilidade de consumo diferente e um gosto distinto.


O sistema solar fotovoltaico não pode ser avaliado com “caro” ou “barato”, pois o seu benefício não é subjetivo, não depende de percepção de valor. É um investimento. Você gasta agora para economizar por pelo menos 25 anos. E como tal, deve ser comparado com outras alternativas de investimento. A pergunta correta seria: investir em um gerador solar é apropriado para mim?


Instalar um sistema solar fica caro?


O retorno de investimento em energia solar nos dias de hoje fica entre 20% a 25%, muito maior do que as aplicações em renda fixa.

, afirmou Ricardo Quinta.

A expansão da venda de painéis solares no Brasil, principalmente a partir de 2016, está diretamente relacionada com três fatores: preço dos equipamentos, tarifa da energia elétrica e taxa de juros. Muitos acreditam que a regulamentação foi a grande responsável pela expansão, mas ela existe desde 2012 e só a partir do final de 2015, o mercado começou a crescer em ritmo acelerado.

Para exemplificar a relevância desses fatores, vamos voltar para 2014. No início de 2014, praticamente todas as tarifas estavam com valores baixos, principalmente em decorrência da MP 579/12, medida provisória do Governo Dilma, responsável por baixar as tarifas de forma compulsória. Essas tarifas começaram a ser corrigidas a partir de 2014, com fortes aumentos principalmente no ano de 2015. A taxa de juros da economia brasileira estava por volta de 11% em 2014 e foi aumentando até chegar a 14,25% em julho de 2015. Os preços dos equipamentos em 2014 e 2015 ainda estavam elevados. Para efeito de comparação, um sistema solar, hoje fica em torno de 25% mais barato do que em 2015.

Considerando esse cenário, o retorno de um investimento em energia solar em meados de 2014 e início de 2015 estava entre 10% a 15%. Com a taxa Selic em 14,25%, que é referência para as aplicações em renda fixa, o investimento em energia solar era muito pouco atrativo quando comparado com as outras opções disponíveis.

Atualmente temos um cenário completamente diferente: custos menores, taxa de juros em 7% e tarifas com valores maiores. O retorno de investimento em energia solar nos dias de hoje fica entre 20% a 25%, muito maior do que as aplicações em renda fixa. Ou seja, o que era pouco atrativo em 2014 tornou-se extremamente atrativo em 2018. E as perspectivas para os próximos anos não devem mudar, pois mesmo que a taxa de juros volte ao patamar de 14% de 2015, o investimento em energia solar ainda é 10% maior. Isso sem falar que a tendência das tarifas de energia para os próximos anos é de subir acima da inflação, o que torna o investimento em energia solar ainda mais atrativo.

Quer investir em energia solar? Entre em contato conosco e vamos disponibilizar essa opção extremamente atrativa de investimento. Isso tudo sem mencionar o lado da sustentabilidade, tão ou ainda mais importante que a questão financeira. Fica para um próximo post.

#vempraINCASOLAR

Ricardo Quinta
Co-Fundador da INCA SOLAR